Obrador e sua opção preferencial de inundar os pobres

Babel

Este artigo foi censurado pelo Facebook, assim como este blog está banido dessa rede digital.

Obrador e sua opção preferencial de inundar os pobres

Javier Hernández Alpízar

“Tivemos que escolher entre os inconvenientes: não inundar Villahermosa e (para) que a água saísse pelas áreas baixas, claro que os mais pobres foram prejudicados, mas tivemos que tomar uma decisão”, explicou Obrador, segundo notas do El Universal, Milenio e Proceso .

No Titanic, uma história cujo filme já é um clássico de dezembro, todos eles afundaram. Lá, como na mudança climática ou na sexta extinção em massa de espécies, eles estavam todos no mesmo barco. Mas eles calçaram as escassas e insuficientes botas salva-vidas primeiro, os ricos e os pobres tiveram que esperar.

Em Tabasco, a enchente foi dirigida aos pobres, os indígenas da região de Chontal. Obrador diz que “claro que os mais pobres foram prejudicados mas tivemos que tomar uma decisão.” Ele assume que todos vão entender. Parece óbvio que as circunstâncias os obrigaram a decidir e não havia alternativa: os pobres tiveram que ser inundados porque o fio É sempre cortado por causa dos mais finos, poderíamos dizer também que em Villahermosa há mais votos e talvez os indígenas tenham o péssimo hábito de não votar. Tudo pode ser.

Mas uma coisa é certa, é um fato. Desta vez, “primeiro os pobres” significava inundá-los, sacrificando-os para a outra opção, impensável que o mundo fosse diferente.

Parece que é a natureza das coisas: criticar Obrador seria politizar a tragédia, livrar-se da desgraça, ser um fifí conservador. É muito claro: “eles tinham que tomar uma decisão”.

No entanto, tomar uma decisão significa que você é livre para escolher e, ao escolher, assume a responsabilidade. É como votar em 2018: se só houver males, você escolhe o mal menor, diziam alguns. Uma boa maneira de justificar a escolha do errado.

O engraçado é que sempre são os mais pobres que são sacrificados: Pela pandemia de Covid 19 (antes da qual eles optaram por não tentar acompanhar as infecções e tentar impedir a propagação do vírus, mas esperar pela “inevitável” propagação e responsabilizar todos por infectados) os mais infectados e com o maior número de mortes são os mais pobres. Com os investimentos e megaprojetos atendendo aos interesses geoestratégicos do capital norte-americano e internacional no Sudeste, os sacrificados serão os mais pobres e principalmente as comunidades indígenas.

Com as consequências das mudanças climáticas e da extinção em massa de espécies, os mais afetados serão os mais pobres e, aliás, os que menos contribuíram para a emissão de gases de efeito estufa: a injustiça climática.

É sempre a mesma decisão, sejam as cheias de Tabasco, o naufrágio do Titanic, a pandemia, as alterações climáticas … quem mais sofre, quem primeiro morre, adoece ou pelo menos perde tudo, são os pobres.

A retórica de que “os pobres primeiro” (positivo) é bom como um slogan, mas ao governar, os militares, os mais ricos (Slim, Salinas Pliego, Azcárraga, Romo…) são privilegiados e para os pobres: escapulários do sagrado Coração…

O capital reina no mundo, e seus operadores, políticos, governantes, etc., são a direita … Ah, mas no México temos um presidente bom, honesto e humanista que (mera coincidência) também primeiro sacrifica os pobres.

A única diferença é que se Trump ou Bolsonaro fizerem isso, está errado, mas se for Obrador, quem está errado é quem aponta e critica.

No México vivemos como o outro lado do espelho: as políticas que no resto do mundo estão à direita, aqui são progressivas.

Ramón I. Centeno disse isso em um grande tweet: A coisa mais original que o quarto trimestre conseguiu é transformar a austeridade em algo “de esquerda”, quando no resto do mundo neoliberal a luta da esquerda é apenas contra a austeridade e seu estreitamento do Estado.

Aqui não se chama neoliberalismo, porque por decreto já estamos no pós-neoliberalismo. Mas a austeridade e o sacrifício dos pobres porque “tínhamos que tomar uma decisão” são tão semelhantes que o silogismo do mal menor parece um ardil para fazer o mal passar por um bem humanista.

Certa vez, assisti a uma palestra de um pastor protestante argentino, fiquei muito interessado porque ele falava sobre a crise que a Argentina estava passando, as panelas populares e a organização do bairro.

No final, entre a platéia, pastores protestantes mexicanos conversaram entre si. Alguém mencionou os pobres e o comentário foi que, segundo o Evangelho, sempre haverá pobres.

Claro, eles são tão necessários, não poderia haver governos evangélicos que valessem se os pobres acabassem, porque se não houvesse, a quem dar migalhas, a quem corporatizar seus votos e a quem, quando não há outra opção, sacrificá-los ao Covid, os inundações ou mudanças climáticas.

Cristãos ou humanistas, eles são tão bons. Uma demonstração de caridade cristã e toda a sua retórica de corpo e alma. Diz o tweet de Obrador, turvando a memória do seu conterrâneo Carlos Pellicer: “Mestre Pellicer dizia: Esta é a parte do mundo onde o apartamento ainda está sendo construído. Nós que nascemos aí temos uma ideia própria do que é a alma e do que é o corpo ”.

Se é para ser humanista e cristão, dá vontade de se tornar o iconoclasta que denuncia toda aquela hipocrisia e diz: são os mercadores do templo que abençoam os sacrifícios e a pobreza dos pobres, mas beijam a mão dos Magros do mundo.

Claro, não é preciso seguir Obrador no Twitter nem nada. Você pode ler seus tweets abomináveis ​​citados em https://www.milenio.com/politica/amlo-se-perjudico-mas-a-pobres-por-inundaciones-en-tabasco?fbclid=IwAR0ROGc_5fL6EEdn-3ufraQGN_c0K2yJ2IQyvjLSTvjLS

Esta entrada fue publicada en babel. Guarda el enlace permanente.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s